BULL CONTROL LANÇA CLIPE DE “VIDAS CEIFADAS”

A banda de hardcore Bull Control acaba de lançar o clipe da faixa “Vidas Ceifadas”, material gravado ao vivo no festival ForCaos 2019. A música faz parte do “Disco União e Respeito” lançado via Electric Funeral Records , e em sua gravação original conta com a participação de Vital Cavalcante do Matanza Inc. músico de carreira consolidada no cenário underground com bandas como Jason, Poindexter , Cidade Chumbo e entre outras .

A Letra que foi escrita por Digão (vocal) e Fábio Alemão (8 mm, Diplomatas e Cabeçudos ) fala como a violência urbana está mais latente no País, e foi lançada em vídeo clipe justamente no momento em que mais uma criança foi morta por Bala Perdida (ou não?) de fuzil que partiu de policiais no complexo do alemão, no Rio de Janeiro.

 A letra de “Vidas Ceifadas” retrata essa realidade, onde inocentes são vítimas diárias de políticas ostensivas e de enfrentamento. “Vidas ceifadas por balas perdidas, algumas achadas em sua direção. Tiros, rajadas, pessoas caídas, só vejo correria e muita confusão. Agora sua honra está comprometida: não fuja, não corra, não peça perdão. Foi dada a largada, é viver o dia a dia, pistola, fuzil e granada na mão!”.

O clipe gravado ao vivo no ForCaos 2019, evento que esse ano teve a sua Vigésima edição . Vídeo produzido pela Vomor Produtora e Imagens por Vicente Ferreira. Confira “Vidas Ceifadas”

Música que faz parte do CD ” União e Respeito ”
Executada nos Jardins do Teatro José de Alencar no dia 14 de Julho de 2019 .
Vídeo : Vomor
Imagens : Vicente Ferreira

Letra:
Vidas ceifadas por balas perdidas, algumas achadas em sua direção.
Tiros, rajadas, pessoas caídas, só vejo correria e muita confusão.
Agora sua honra está comprometida: Não fuja, não corra, não peça perdão.
Foi dada a largada, é viver o dia a dia.
Pistola, fuzil e Granada na mão!
Venha ver nas ruas o que real acontece, liga o celular para filmar, vejo uma senhora fazendo uma prece, assim é bem mais fácil só “compartilhar”.

Em casa, sentado é mais seguro, viver em seu mundo particular.
Olhe na janela por cima do muro, assim é bem mais fácil não se machucar.
Olho por olho, dente por dente com sangue nos olhos seguimos em frente
A chapa tá quente, não sei pra onde correr procuro uma saída tá difícil de viver.
Na selva de pedra, ascenderam o pavio, estopim a explodir, esse é o brasil.
Na bandeira só leio desordem e regresso, Tiro e exploração, em constante decesso.
Quando vou ver essa merda ir pra frente? miséria na pátria dos cegos e sem dentes!